Decepticons na direção?


Uma das curvas de enredo recorrente em filmes hollywoodianos, é a morte prematura de qualquer personagem proveniente de minorias étnicas, mas não esperava por essa num longa sobre robôs e dominação intergaláctica. Sim, estou falando de Transformers, o longa-metragem de 150 milhões que o Sr. Spielberg produziu. O Autobot Jazz, protagonizado por um ator negro, Darius McCrary, é o mais desbocado da turma, e o primeiro a morrer em combate. Parte da opinião pública norte-americana diz que alguém vai ser acionado por isso (Novidade!). Há alguns anos George Lucas explicou-se por conta dos trejeitos e linguajar de Jar Jar Binks em sua série de sucesso, Star Wars... Enquanto fã, eu admiro a decisão do diretor Michael Bay, de manter Peter Cullen como a "voz" de Optimus Prime ao menos.
Shia LaBeouf (Sam Witwicky) se saiu muito bem, era inevitável tê-lo como protagonista num blockbuster depois de suas atuações em I, Robot e Constantine...ao adentrar a sala de exibição lembrei-me dos dois Bumblebees que ganhei ainda pequeno. Ele parecia um Fiat Uno, mas era um Ford Camaro, assim como no filme. Um ganhei de meu pai, num sábado quando saíamos do Carrefour Anchieta. Havia uma loja chamada Almanaque bem em frente ao La Panqueca...já o segundo eu ganhei de uma amiga da família, Miriam, que numa tarde de férias no Shopping Morumbi disse: Você coleciona carrinhos, Fábio? Sim, eu ganhei um Saltman-X esses dias, respondi eu...e aí acabei ganhando outro Bumblebee, não dava pra dizer: Esse eu já tenho!
Não lembro quem sumiu primeiro, os Autobots de Cybertron ou os G.I Joes, só sobrou o adesivo sobre a escrivaninha. O post deveria tratar de outros aspectos de Transformers...quer saber: O filme me fez bem. Mais dia, menos dia, eu compro um Autobot Jazz ou um Optimus Prime (já que eles formavam um tag-team na série animada) pro meu sobrinho. Guess what, marketing analysts @ Paramount and Hasbro, the magic still works! Just don't kill the black dude in the sequel.

2 comments:

Paulo Skilo said...

Porra, mano. Não tinha pensado nisso. O robô diz que aprendeu a falar daquele jeito na internet. Quando vai ter show em Santos de novo, Fabio?

jé said...

Não sabia desta conspiração, rs.
Mas quero dizer q o filme me fez muito bem tbm, esses eram os meus brinquedos favoritos, juntamente com os G.I. Joes kkkkkkkkkkkkkk
e ver os robozinhos criarem vida, foi demais, rs
paz aew Fábio, rs